sábado, 20 de agosto de 2011

Mais Uma Prova Que a Inflação É Superestimada no Brasil


Stephen Kanitz

Trinta anos atrás, entreguei aos formuladores do Plano Cruzado este estudo afirmando que ele iria fracassar se não mudassem a forma equivocada de calcular a inflação.
Nossos economistas usam os preços a prazo do Atacado de 30 a 60 dias, não o preço a vista que nem existe nestes casos. Deveriam trazer a valor presente antes.
Para quem não entende de finanças, isto significa incluir os Preços de Amanhã na Inflação de Hoje, um erro monumental. Veja o resultado deste erro.
Em 10 anos, o IGP-DI  e o IGP-M foram 78% MAIOR do que os preços ao consumidor.
Se os preços no atacado são (forçosamente) os preços do varejo e mais 20 ou 30 dias de distribuição do produto, como é possível ter uma difereça tão grande entre Preços do Atacado e Preços ao Consumidor?
São os mesmíssimos produtos, só que em etapas diferentes no processo de distribuição. Ao longo prazo as suas taxas de inflação deveriam se igualar e não se separar em 78%.
Não vejo por aí atacadistas 78% mais ricos e varejistas pobres.
A situação piora, se fosse 100% o Peso de Preços de Atacado do IGP e não somente 60%, a diferença seria de 130% maior.
Como venho alertando jornalistas há mais de 40 anos, não era a inflação que precisava ser combatida, e sim este erro monumental de contabilização da inflação. Está aí mais uma prova.
Estávamos usando termômetros errados por 40 anos, e dizendo que o paciente estava com febre elevada.
Leia agora o manual de índices de inflação emitido pelo Banco Central, que explica como são calculados os Índices, e como não há nenhuma referência sobre como os Preços a Prazo do Atacado são tratados.
(Ou se traz ao valor presente e se inclui o preço "vista" no índice de hoje, ou se respeita o prazo e se inclui o preço no índice somente no mês de vencimento do prazo.)
O que mais me chama atenção é o silêncio dos economistas quanto as estas minhas críticas. Veja os comentários que virão, sempre dizendo que estou pegando no pé dos economistas, que eu tenho um problema "emocional" com eles.
Pelo contrário, adoro estes erros. Ganhei muito dinheiro e entendo como funciona de fato este país. Fico triste e revoltado porque estamos destruindo as finanças públicas, temos o juro mais elevado do mundo, por erros banais e fáceis de resolver.
E eu sei o porquê deste silêncio.
A grande maioria trabalha em bancos, hedge funds ou sonha com isto. E super estimando a inflação eles ganham uma baba de dinheiro e "success fee". Fazendo nada.
Não seria uma enorme oportunidade para um jovem economista me "destruir", intelectualmente é claro, mostrando como nós administradores somos uns perfeitos idiotas, especialmente o conhecido Stephen Kanitz.
Seria um 1 x 0, um gol para a sua futura carreira.
Mas basta fazer um Google e perceber o total silêncio da classe nestes 40 anos. Tenho ou não razão de ficar preocupado com o futuro deste país?
(Este suposto aumento da inflação em 2011, na realidade é, em parte, aumento dos prazo de crédito, que sempre ocorrem quando uma economia começa a desaquecer, e as empresas querem reduzir os seus estoques, facilitando as vendas. Não é aumento de preço de fato, só de prazo de pagamento. 
Mas nada disto consigo transmitir, porque a maioria dos jornalistas ainda acha que os índices de inflação são manipulados para Baixo, e não para Cima, o que de fato, é inacreditável).

Nenhum comentário:

Postar um comentário